Header Ads

Seo Services

Movimentação a favor da vaquejada acontece dias 6 e 7 de novembro na Assembleia Legislativa da Bahia.

Assunto da vez entre os parlamentares, a vaquejada, evento cultural típico do Nordeste, terá mais um ato de defesa. Próxima segunda-feira (7) na Assembleia Legislativa da Bahia, acontece uma Sessão Especial contra a proibição. O ato acontecerá em duas partes, no domingo ocorre uma mobilização em frente ao Centro Administrativo da Bahia e no dia seguinte a sessão no plenário da AL-BA. “Domingo vamos ter um movimento nosso, ordeiro e programado, de toda a família do cavalo da Bahia, de quem ama a vaquejada, cavalgada e todos os esportes equestres. Vamos nos concentrar no CAB pela manhã. Convidamos todos os deputados federais, senadores e parlamentares que defendem à causa”, explicou o deputado Eduardo Sales, que propôs a Sessão na Casa e lidera o movimento. O ato, no entanto, foi motivo de polêmica, pois o deputado Marcell Moraes criticou dizendo que não passou pelas comissões e não foi votado. Ele como presidente da Comissão do Meio Ambiente da AL-BA, não gostou nada de não ter sido convidado. “Adolfo é um defensor legitimo da vaquejada, mas Eduardo Sales ponga nas informações, quer fazer espuma. É apenas eleitoreiro o que ele quer fazer. Esse ato não existe, nem votado foi na comissão”, disparou Marcell.
Eduardo Salles rebateu as declarações de Marcell. “Eu desde os 16 anos que pratico vaquejada, tenho uma história dedicada a agropecuária, fui secretário de Agricultura da Bahia, autor de lei que regulamentou da vaquejada na Bahia, sou filho de agricultor, sou engenheiro agrônomo, minha bandeira sempre foi nesse viés. Se todas essas premissas não são viáveis para Marcell, porque então ele se coloca como defensor dos cachorros e gatos, para mim eleitoreiro é ele”, rebateu. “ Quero saber qual o histórico dele de vida antes de parecer com uma placa carregando um cachorro para pedir voto? Ele fala que o boi não autorizou participar do evento e o cachorro autorizou ser castrado?”, questionou, alfinetando o Castra Movél. “Eu tenho uma vida dedicada ao campo, à agricultura. Ele [Marcell] está se excedendo e não tem argumentos”, completou Eduardo Salles. O detalhe é que para realizar Sessão Especial, segundo deputado Salles, não precisa passar no âmbito das comissões, é necessário apenas da autorização do presidente da Casa, diferente de Audiência Pública. No ato da próxima semana, consta como coautores do pedido para a realização da Sessão Especial, os parlamentares Gika, Zó, Adolfo Viana, Leour Lomanto e Alex da Piatã.

Nenhum comentário